quinta-feira, 1 de maio de 2008

Sobre o Sentido da Vida e o Filtro Solar




Li uma crônica hoje sobre o sentido da vida.

Essa é uma daquelas questões que me deixam com olheiras. Sempre que me sinto triste, abatido, me coloco a pensar sobre o sentido da existência. É sempre assim: o homem só para pra pensar na vida quando as coisas “apertam”. Muitos se propuseram a pensar sobre o real sentido da vida, todos sem êxito. Talvez a única razão da vida seja esperar a morte, talvez sejamos fruto do acaso, talvez nem haja razão mesmo. Qual é o sentido da vida?

As religiões foram criadas para isso. A partir do momento no qual o homem fez essa pergunta a si mesmo e se viu perdido sentiu a necessidade de criar para si algo superior, místico, algo que desse sentido a sua vida. Normas, padrões, ética, frutos dessa tentativa tola. Um amigo me disse que o homem cria as coisas e se torna escravo delas. Interessante afirmação. O homem criou o dinheiro e se tornou escravo dele, criou a religião e se tornou dependente dela. Mas ele me fez pensar mais fundo e me disse: o homem criou as palavras e se tornou servo delas. Como pode ser? Como uma palavra pode me escravizar? Não são as palavras em si, mas sim o sentido que atribuímos a elas. Funciona assim: as coisas são os nomes que lhes damos. O homem criou palavras tais como: inferno, céu, julgamento, condenação; atribui sentido a elas e se tornou escravo das mesmas. Quanta tolice! Tudo isso na tentativa de atribuir sentido a nossa própria existência.

Nesse processo cada vez mais o homem se se desumanizou. O ser humano simplesmente se esqueceu de “ser humano”.

Você pode me perguntar: mas qual é então o sentido da vida?

Serei sincero o bastante pra te responder: não sei!

E ainda ficarei feliz com isso.

Estarei reconhecendo minha humanidade, minha finitude e meus limites. Não tentarei te convencer de nada. Apenas farei com que você pense e pare de se preocupar em ser feliz. Na verdade o ser humano é o único animal que se preocupa em ser feliz, enquanto os outros simplesmente são. Engraçado! Não crêem na palavras de Jesus. Disse ele: “não se preocupem com as suas vidas, nem como dia de amanhã. Se Deus cuida até dos pássaros deixaria ele de cuidar de vocês homens de pequena fé? Portanto, não se preocupem com o amanhã, mas vivam o hoje, pois cada dia trará consigo suas próprias preocupações”.

A única conclusão a que chego é: a vida acontece hoje. Desse modo “Colha o dia como se fosse um fruto maduro que amanhã estará podre. A vida não pode ser economizada para amanhã. Acontece sempre no presente.” (Rubem Alves).

Pra finalizar essa conversa de mesa de bar deixo as palavras de um grande amigo:
“Nunca deixe de usar filtro solar. Se eu pudesse dar só uma dica sobre o futuro seria esta: use filtro solar!”


Sola Libertad


Luiz Antonio

11:30 do dia 1º de maio de 2008.

Dia dos Trabalhadores ou Dia daqueles que se preocupam.

10 comentários:

Wagner Martins disse...

Luiz, parabêns meu irmão. Maravilhoso texto. É isso ai, a vida não tem sentido, todo sentido somos nós que damos, a única a fazer com a vida e viver, e esperar a morte. Mas viva bem, sorria, faça amigos, leia livros... so para se distrair.Porque depois da morte, nada disso servirá.

Abraços.

Alex disse...

kara seu texto me deu vontade de viver!

May Hubner disse...

=D
Adorei seu texto migo.
"Apenas farei com que você pense e pare de se preocupar em ser feliz. Na verdade o ser humano é o único animal que se preocupa em ser feliz, enquanto os outros simplesmente são."
Disse tudo.
Te amo
BjooOoo***

Silviao disse...

E a felicidade? Não é também mais um paradigma carnal? Uma vontade de potência? Buscar ser feliz ou simplesmente ter seu espírito liberto para todas as sensações e sentimentos? Quem sabe uma nova experiência, uma nova conjunção. Talvez aprendendo mais uma palavra ou uma expressão que defina nosso dia. Ou até um momento de silêncio, mas capaz de transformar todo aquele longo e cansativo discurso num pequeno sorriso. Luiz, você tá escrevendo bem, suas reflexões são existenciais emais que isso, você tem tocado em pontos viscerais da existência. Cuidado, os fracos não podem não sobreviver a palavras bem definidas. Grande abraço, não perca de vista a responsabilidade.

http://silviao.cortes.zip.net

Roger disse...

Belo texto!

Quanto ao sentido da vida, certo sábio apenas comentou: Qual o sentido da vida? Por que dar uma resposta para uma pergunta tão bela como essa?!

Um grande abraço,

Roger

Thiago Mendanha disse...

"Qual o sentido da vida? Em três segundos desvendo... Amar a Deus sobre todas as coisas e ao teu próximo como a ti mesmo."

Alguém consegue?

Anônimo disse...

Parabéns pelo texto, muito bom.
Qual o sentido da vida?
Esta é a pergunta que deve mover qualquer existência, se o sentido da vida fosse único, fechado e atingível facilmente a vida seria estranha e sem lógica. Pois, se já atingimos o sentido da vida para que viver?
A vida é uma eterna busca de sentido e isso que realmente faz sentido.

Mayara disse...

Nietzsche dizia que para saciar as nossas vontades deviamos apreciar ou realizar algum tipo de arte. Seu texto traz a ideia da arte pura, que faz nosso desejo extinguir-se! husuhsauhs

Bom queria dizer mesmo que ele me ajudou muito! espero que continue escrevendo textos excelentes como esse! ;D

beijos!

[ana] disse...

Aprendi a duras penas que eu devia parar de tentar me fazer feliz e começar a fazer Deus feliz... depois disso td mudou......... pra melhor! =)

Mary disse...

Quanta coisa aí dentro pra ser exposta hein. Tens talento, guri.
E eu aprendo, mais uma vez, a não pré-julgar em nenhuma hipótese.

Que todas essas questões super humanas continuem a te perseguir. Assim tu continuarás a fazer tua arte, das palavras e do som.

See ya, M. JuLia
God Bless U